Páginas

sábado, 20 de junho de 2015

SEM TITULO

Entender talvez não passe
Da tendência
Da essência
Que se perdeu
E a herança
Que não se quis
Talvez não passe da raiz
Que nasce no cabelo
Ou do elo
Entre ser e existir
Querer não pode ser
Maior que o seu medo
Há de ser o equilíbrio
Entre o desejo
E a vontade de partir
E partir deve mesmo ser ir
E voltar quando o dia amanhece
Deve ser o tremor
Que se perde na prece
Ou a pressa que não se tem
Quando se pode esperar.
Williany Souza

Nenhum comentário:

Postar um comentário